Blog

Home Blog

Não estamos respirando

  

Não estamos respirando

Estamos vivendo tempos difíceis (e não é de hoje). A tecnologia traz muitos benefícios, mas está transformando o mundo e as pessoas. Nos colocamos sempre à disposição, online, nossa vida é mais virtual do que nunca, expostos. O mundo ficou pequeno, temos acesso a tudo em um clique, em tempo real. Desmitificamos, quebramos barreiras e paradigmas, nos tornamos mais rápidos, ágeis, com maior conhecimento e oportunidades.

Nos aproximamos de pessoas que estávamos distantes e retomamos laços, passamos a acompanhar suas vidas, seus passos, seus sucessos. Em contrapartida nos afastamos das pessoas mais próximas e criamos abismos invisíveis.

Não estamos respirando...

No âmbito profissional não foi diferente. Nos tornamos mais competitivos, as empresas cobram mais de seus funcionários e estes em por sua vez buscam incessantemente estar à frente na corrida rumo ao sucesso, querem o primeiro lugar no pódio, buscam aperfeiçoamento, graduação, pós, MBA, mais e mais conhecimento, promoções, comissões e aquele bônus extra que pode dar o start em projeto pessoal.

Muitos querem liderar, ser referência, comandar. As idéias são constantes, os projetos são bem-vindos, firmam-se parcerias. Buscamos destaque, queremos estar nas mídias, esperamos reconhecimento imediato e as críticas nem sempre são bem-vindas.

Não estamos respirando...

Plantar uma árvore, escrever um livro e ter filhos são propostas que definharam. Agora o “cool” é uma rede social inflada, a busca diária por mais e mais seguidores, vídeos que viralizem, curtidas em fotos felizes. Ler não, ter um blog ou um canal que monetize. E os filhos? Complicado, compromisso, deixa para mais tarde, só depois de se formar, comprar o apartamento, tirar a CNH, adquirir o carro, casar-se e ah, tem que ser depois das viagens programadas. Tarde demais? Talvez...

Não estamos respirando...

A grama do vizinho é sempre mais verde. Acreditamos no que vemos e lemos. Comparamos, comparamos e comparamos o tempo todo. Como não consigo ser igual? Por que ele conseguiu e eu não? Que família perfeita ela tem! Que viagem maravilhosa! O carro do ano, puxa!Eles conseguiram mais uma promoção e eu aqui, travado, no mesmo lugar, só olhando os outros passarem e esperando a minha vez.

Queremos ser bons em tudo- e o mais rápido possível-, queremos ser vistos, queremos nos encaixar. Então rapidamente chegam também as consequências: bebidas, drogas, depressão. Só mais uma dose, sempre com os “parceiros”. A bancada começa a ficar cheia, entram na nossa vida o rivotril, clonazepam, oxicodona...

Não estamos respirando... (quase no oxigênio)

Não bastasse tudo isso e PÁ. Do nada aparece em escala mundial a tal pandemia. Daí foi para detonar. Tudo que parecia ruim ficou pior, escuro, triste, nebuloso e amedrontador. Os primeiros dias na frente da TV assistindo incertezas, com medo do futuro, trancados, contando números crescentes em escala surreal. Então congelamos. Quem não estava conseguindo “subir” se viu perdido e quem estava bempode ter “caído” ou se perdido também. Máscaras, álcool, lavar as mãos, coloca luva, álcool, máscara, lockdown, saudade, papel higiênico, máscara, álcool, limite de entrada, desinfeta as compras, máscaras, álcool, em gel, líquido, pastoso, gasoso, como desse para conseguir. Os planos foram adiados, não tinha como crescer, nada apontava para algo bom, ficamos sem perspectivas.

Alguns pararam de respirar... ?

Trago tristezas? Que post mais pra baixo, aff...

Caaallma! Não, não mesmo. Trago mensagens, reflexão e esperança.

Desacelere, fique On, bloqueia, se afaste não poste, não curte não debate. Sentiu que precisa de mais ainda, exclui a rede social, azar (ainda temos as cartas *risos*).

Se afastou? Aproxima. Sentiu saudade? Procura, liga. Está precisando de um ombro? Ceda antes o seu. Volta a sentar no sofá para ver um clássico com “os de casa”, chama pai, mãe, marido, esposa, filhos. Tome o café com a mesa posta (tipo novela ou hotel), estenda a cama, ofereça jantares, convida para um happy (ou uma “resenha” ou um “after”, -te atualiza criatura!). Investe numa roupa nova. Arrisque, vá no cinema, no teatro, no shopping , sozinho, abra um vinho só para ti, degusta. Aprenda a se amar e ser sua melhor companhia pois este é o segredo. Ninguém vai te amar se você não se amar antes.

Já está respirando um pouco? Respire, respire mais...

Volta aos planos antigos. Plantar uma árvore é o que o mundo precisa, vá em frente, Go! E o livro? Vai também, tenta, vai que você encontra um dom escondido e vira um Best Seller, ué, nunca se sabe. O filho pode não ser uma opção, novos tempos, ninguém é obrigado. Concordo, tem que ser bem pensando mesmo. Mas pensa, pensa com carinho, filhos são uma dádiva.

Não está feliz profissionalmente? Não sente mais “tesão” no que faz. É simples, muda. Procura orientação, faz projeto, programa, busca alternativas, nem que demore um pouco, mas muda.

Tem vontade de colocar um projeto em prática, mas tem medo, receio de errar, medo de falir, de “se queimar”. Não tem jeito, só vai saber tentando. Tenta. Busque alternativas, tira financiamento, convida um sócio, pede emprestado, pede ajuda, se desfaz de algumas tranqueiras para fazer capital, contrata o Sebrae, entra em grupo de empreendedorismo, compra livro, pesquisa, mas tenta! Se não der, foi aprendizado.

Ufa, já está respirando um pouco mais né... continua, porque eu vou continuar...

E aquela promoção que não vem. Calma, tudo tem o seu tempo, o que é seu está guardado, ninguém se torna gerente em 6 meses, primeiro a gente tropeça um tanto, erra um tanto e se ilude um tantão, mas tudo é crescimento para quando a hora certa chegar, você estar preparado. Não vai nem ter roupa para isso porque vai ser pego de surpresa hehe.

A grama do vizinho é mais verde? Pinta a tua! Dá teu jeito. Constrói um muro, para de olhar. Arranca tua grama e coloca piso, lajota, grama artificial, piche, qualquer coisa, mas dá teu jeito.

Pare de comparar. Ninguém é igual e 95% do que vemos nos outros ou é mentira ou pode ter sido conquistado de maneiras que você não faria, ultrapassando limites que sua índole não permite, que os valores que seus pais lhe passaram não são compatíveis. Não compara. Ao invés de se cobrar pelo que não tem, começa a sentir gratidão pelo que tem, pelas coisas que já conquistou. Pequenas coisas, mas as mais importantes, as mais nobres: saúde, família, amigos, casa, refeições diárias... Seja grato. A gratidão move montanhas. Ore. Pense positivo, medite, faça Yoga (eu estou adorando, Namastê). Gratidão, gratidão, gratidão.

Respiração voltando em 3,2,1...

Você é o tipo de pessoa que fica esperando a felicidade em coisas grandes? Bobinho... A felicidade está na luz do dia, no passarinho cantando, no desconto de 10%, no bombom que o colega deu, no convite para o aniversário, no sorteio que ganhou, na pessoa que você conheceu no parque, na plantinha que nasceu sozinha no cordão da sua calçada, na geladeira que voltou a funcionar depois de religar na tomada, no botijão de gás que não terminou na sexta, no sorriso do seu filho, no olhar carinhoso do seu esposo, na piada sem graça do seu melhor amigo, na história repetida de sua avó, na receitinha maravilhosa e tradicional da sua mãe, no livro que procurava e encontrou no sebo, na barbada do outlet, na nota 7 da faculdade, no sorriso retribuído na sinaleira, na série nova que você estava esperando pra ver, no filme delícia da sessão da tarde, na xícara de café, no bolo que ficou fofinho como gosta, nas flores compradas que duraram mais que 5 dias, no vizinho que lhe ajudou com as compras pesadas, no barulho da chuva no domingo de folga, na segunda-feira desafiadora, no dia, na noite, na vida.

Busca o sucesso? Mas o que é sucesso? Um grande amigo me ensinou isso e me fez questionar: o que era sucesso? Vamos aos fatos. Conforme o dicionário Aurélio o significado de sucesso é: “aquilo que sucede; acontecimento, fato, ocorrência, qualquer resultado de um negócio, de um empreendimento”. Ahhhh Sr. Aurélio, que restrito hein!

O conceito de sucesso é relativo. O que é sucesso para mim, pode não ser para você. Desapega. Solta essa palavra de mão, ressignifica. Sei lá, sucesso é não buscar o sucesso. Que tal? Achei um luxo.

Tá respirando como um Budista no topo da montanha?

Então atingi meu objetivo. Viu como não era um post das trevas.

Para você que chegou até o final deste texto que fiz com carinho, desejo muita paz, muito amor, muitos sonhos, muitos erros, muitos acertos.

Independente do que aconteça, CONTINUE RESPIRANDO.

- Patrícia Pankowski